Adicionar aos favoritos
Indique nosso site
 
Mensagens
 
O que quer dizer vinho na B?blia? ...

Bebidas alcoólicas são para o povo do Altíssimo?

Vinho, hoje em dia, é invariavelmente entendido a ser uma bebida alcoólica. Muitas pessoas pensam, automaticamente, que qualquer vinho mencionado na Bíblia tinha um conteúdo significativo de álcool. Mas, isso não é verdade.

"Vinho" na Bíblia é o produto da uva. Freqüentemente se refere a uma bebida alcoólica semelhante a tais bebidas hoje. Em tais casos, o vinho é descrito como causador de muito sofrimento, e como algo que conduz homens a cometer diversos pecados vergonhosos. O Eterno proíbe o uso de tal vinho, e dá bons motivos para não bebê-lo.

Mas, a palavra vinho é também usada na Bíblia para descrever o produto não fermentado da uva -- o que nós chamamos suco de uva. Pode ver isso em casos onde as mães o deram aos bebês Lamentações 2:11-12 e onde é considerado uma bênção do Eterno por exemplo, Oséias 2:8-9. Usando a palavra "vinho" em dois sentidos, Cristo diz em Marcos 2:22 que vinho novo rompia odres velhos já esticados e endurecidos. A expansão de fermentação natural estourava os odres velhos.

Da mesma maneira que nossa palavra bebida tem que ser entendida no contexto poderia ser água, refrigerante, suco, cerveja ou Licor, dependendo do contexto, o sentido de vinho nas Escrituras tem que ser determinado pelo contexto.

Compreendendo esse fato ajudará a entender o primeiro milagre de Cristo João 2:1-11. Nada no texto sugere que Cristo transformou água em bebida alcoólica. No contexto de tudo que a Bíblia fala sobre bebida forte, é inimaginável que Cristo teria feito centenas de litros de vinho alcoólico.

Vinho, hoje em dia, é invariavelmente entendido a ser uma bebida alcoólica. Muitas pessoas pensam, automaticamente, que qualquer "vinho" mencionado na Bíblia tinha um conteúdo significativo de álcool. Mas, isso não é verdade.

A Bíblia descreve a histórias de vários homens que se envolveram com as bebidas alcoólicas. Alguns eram maus, mas outros eram homens de fé e comissionados pelo Altíssimo. O fato de alguns desses homens terem bebido não nos coloca na liberdade de fazermos o mesmo. O grande salmista Davi foi um homem ricamente abençoado e devemos fazer de tudo para sermos também chamados de homens segundo o coração do Eterno. Todavia, não devemos pensar em adulterar só porque a Bíblia relata essa triste fraqueza de Davi (Livro de Samuel). O Eterno permitiu e relatou a queda de Davi para que nós tirássemos lições e não fizéssemos o mesmo.

Vinho na Bíblia é o produto da uva. Freqüentemente se refere a uma bebida alcoólica semelhante a tais bebidas hoje. Em tais casos, o vinho é descrito como causador de muito sofrimento, e como algo que conduz homens a cometer diversos pecados vergonhosos.

O Eterno proíbe o uso de tal vinho, e dá bons motivos para não bebê-lo. Vejamos alguns desses casos: O CASO DE NOÉ: A Bíblia descreve os maus efeitos da bebida embriagante na história de Noé (Gn.9:20-27). Ele plantou uma vinha, fez a vindima, fez vinho embriagante e bebeu. Isso o levou à embriaguez, à imodéstia, à indiscrição e a tragédia familiar em forma de uma maldição imposta sobre Canaã. - O CASO DE LÓ E SUAS FILHAS: Nos tempos de Abraão, o vinho embriagante contribuiu para o incesto que resultou na gravidez das filhas de Ló (Gn.19:31-38). - O CASO DOS FILHOS DE ARÃO: Nadabe e Abiú entraram no templo com seus incensários, mas por terem bebido bebidas fortes saiu fogo de diante do Senhor e os consumiu Lv.10. O Eterno ainda chamou os seus sacrifícios de fogo estranho. OS PROFETAS E SACERDOTES NA ÉPOCA E ISAÍAS: “Mas também estes cambaleiam por causa do vinho, e com a bebida forte se desencaminham; até o sacerdote e o profeta cambaleiam por causa da bebida forte, estão tontos do vinho, desencaminham-se por causa da bebida forte; erram na visão, e tropeçam no juízo Is.28:7. - A EMBRIAGUEZ DOS CORÍNTIOS: A Igreja que Paulo havia recém formado em Corinto estava, por falta de conhecimento, cometendo alguns sacrilégios. Eles estavam usando vinho fermentado na Santa Ceia e isso não agradou nem a Deus, nem o apóstolo I Cor.11:21. Paulo disse que isso não era digno de nenhum louvor I Cor.11:17, mas sim de grande vergonha. Isso foi chamado de comer e beber indignamente I Cor.11:29. Foi causa de mortes antes do tempo de alguns cristãos I Cor.11:30. Esse é o lucro de uma Igreja que deixa que se introduza tamanha maldade em seu meio.

A BEBIDA ALCOÓLICA NA IGREJA DE ÉFESO: Na Igreja dos efésios havia, provavelmente, um grupo de crentes que não haviam recebido o batismo com o Espírito Santo e Paulo descreve o motivo em Ef.5:18: “E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito,”. Esse grupo de irmãos achava normal beber e ser cristão, mas a prova que isso é impossível é bradada por Paulo: “não vos embriagueis”. O Espírito não fica onde há sujeiras e embriaguez.

Compreendendo esse fato ajudará a entender o primeiro milagre de Cristo João 2:1-11. Nada no texto sugere que Cristo transformou água em bebida alcoólica. No contexto de tudo que a Bíblia fala sobre bebida forte, é inimaginável que Cristo teria feito centenas de litros de vinho alcoólico. No hebraico, as palavras usadas para designar vinho são YAYIN e TIROSH. YAYIN – Se referi ao suco fermentado das uvas, isto é, alcoolizado. TIROSH – Se referi ao suco não fermentado, não alcoolizado.

Nos textos onde o "vinho" é taxado como abominável a palavra usada é yayin (justamente o suco fermentado, alcoolizado, exemplos: Pv. 20:1, Is. 5:11 e Hab. 2:5.. Portanto a ambigüidade se instala no português e não no hebraico, pois no nosso idioma a palavra "vinho" designa uma coisa não alcoólico e a outra alcoólico. Outra observação, a palavra SHEKAR era usada para designar a bebida fermentada , alcoolizada, a partir de grãos de cereais, mel e tâmara.

Esta palavra é traduzida para o português como bebida forte, tal bebida era parecida com a atual água ardente ou cachaça.

No grego, a palavra usada é OINOS que traduzido para o português é "vinho". Só que no grego, como no português, esta palavra designa tanto o vinho alcoolizado como o não. Logo é diferente do hebraico onde para cada tipo de suco usa-se uma palavra específica, portanto no grego, a correta hermenêutica se dá pelo contexto, exemplos: Ef. 5:17,18 obviamente refere-se ao suco fermentado ou yayin , em I Tm 5:23 obviamente refere-se ao suco não fermentado ou "tirosh".

Da mesma maneira que nossa palavra "bebida" tem que ser entendida no contexto poderia ser água, refrigerante, suco, cerveja ou Licor, dependendo do contexto, o sentido de "vinho" nas Escrituras tem que ser determinado pelo contexto.

Compreendendo esse fato ajudará a entender o primeiro milagre de Cristo João 2:1-11. Nada no texto sugere que Cristo transformou água em bebida alcoólica. No contexto de tudo que a Bíblia fala sobre bebida forte, é inimaginável que Cristo teria feito centenas de litros de vinho alcoólico.

“ Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.” João 8: 44

Essa tem sido a desculpa mais errônea que já vi, visto quando um crente quer dar seus golezinhos. Sistemas evangélicos dos mais costumeiros tem se escondido atrás de astuta cilada do maliguino, alegando que os irmãos podem beber, é só não se embriagarem. Mas o que diz a Palavra do Eterno, pois é só ela que nos interessa. Vejamos então os versículos em que a Palavra nos veta esse malefício:

“Ai daquele que dá de beber ao seu próximo, adicionando à bebida o seu furor, e que o embebeda para ver a sua nudez! Serás farto de ignomínia em lugar de honra; bebe tu também, e sê como um incircunciso; o cálice da mão direita do Altíssimo se chegará a ti, e ignomínia cairá sobre a tua glória” Hb.2:15-16.

“Mas também estes cambaleiam por causa do vinho, e com a bebida forte se desencaminham; até o sacerdote e o profeta cambaleiam por causa da bebida forte, estão tontos do vinho, desencaminham-se por causa da bebida forte; erram na visão, e tropeçam no juízo” Is. 28:7.

“Não é dos reis, ó Lemuel, não é dos reis beber vinho, nem dos príncipes desejar bebida forte; para que não bebam, e se esqueçam da lei, e pervertam o direito de quem anda aflito” Pv.31:4-5.

“O vinho é escarnecedor, e a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar não é sábio” Pv. 20:1.
“Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho (fermentado), quando resplandece no copo e se escoa suavemente” Pv. 23:31.

“Beberão, e cambalearão, e enlouquecerão, por causa da espada, que Eu o Altíssimo enviarei entre eles” Jr.25:16.

Os textos acima falam por si só e nos deixa claro quanto a vontade do Eterno em relação a bebida alcoólica. Desculpe - me irmão mais tenho que falar com tempo você compreendera.

Que o Altíssimo nos Abençoe.